Patrimónios e Herancas

Depois de 2 dias sem net com energia pela metade, regresso a Bissau. A cidade prepara-se para o carnaval. Saio do Bairro da Cooperação para um petisco no Bairro da Ajuda. No Frango Criollo juntam alguns residentes, para ao fim da tarde, conviveram à roda da mesa.

Domingo ė dia de descanso semanal e as gentes encontram se debaixo das árvores, em roda. Alguns com chá, noutros com sunos ou aguardente de cana, os mais sofisticados com vinho português. De pias, JP ou Monte Velho.

Na TV vem se imagens do jogo. Ao longe, sem som, percebe se uma polémica, racista.

Nas redes sociais, dá-se conta das polémicas patrimoniais em Portugal. Substituições nos órgãos do estado – que suscitam apreensão da sociedade cívil. Quadros / objetos de museu, subitamente transformados em peças decorativas. Polémica. Tesouros não são turismo dizem muitos.

Entre racismo e gentrificação, visto a esta distância, a partir dom lugar de observação , num país sem estado, o velho terrao mátrio teina em se enveredar nas questões levantadas pelo Luís Vaz, entre velhos do restelo e empreendedores de ocasião.

O mundo está mesmo a mudat muito rapidamente.

Crónica da Guine #39

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s